sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011

Vallegre Reserva Especial Vinhas Velhas 2007 (Tinto)


Região: Douro 
Produtor: Vallegre 
Castas: Tinta Amarela, Touriga Franca, Sousão, Tinta Francisca, Touriga Nacional, outras 
Custo: € 12,99 (Jumbo) 
Álcool: 14 % 
Vertido na folha: Escuro mas não opaco. Boa intensidade aromática, frutado, balsâmico, barrica. A boca prima pela elegância, taninos finos, amplo, fresco, final longo e prazenteiro com as notas de cacau a emergirem. O vinho apresentou-se com abundantes cristais de (eventualmente) ácido tartárico. 
Rolha: Natural, bom estado, apenas molhada na base 
Consumido: Novembro 2011 
Apreciação: Com Alma

terça-feira, 27 de Dezembro de 2011

Quinta das Bágeiras Garrafeira 2008 (Branco)


Região: Bairrada
Castas: Maria Gomes, Bical
Custo: € 9,85 (Produtor)
Álcool: 13,5 % 
Vertido na folha: Amarelo aloirado, denso. Nariz muito complexo, evocando maçã verde/reineta, resinas, adega. É na boca que melhor se expressa. Excelente, encorpado, mastigável, pleno de sabor, acidez perfeita e final muito longo com notas fumadas. Grande branco, fora de modas, na linha das ideias vincadas do produtor. A beber ou guardar pois dará alegrias no futuro. Este precisou de decantação...
Rolha: Natural, tom ocre, bom estado, apenas molhada na base
Consumido: Novembro 2011 
Apreciação: Conversador

sábado, 24 de Dezembro de 2011

Ramos Pinto Vintage 2000 (Porto)


Região: Porto
Castas: n/d
Custo: € 10,00 (Modelo Continente)
Álcool: 20 % 
Vertido na folha: Escuro, denso, lágrima generosa. Nariz muito agradável, complexo, onde ainda se nota uma fruta madura longínqua, notas vegetais e boa dose de fruto seco. Encorpado na boca, cresce, cria impacto e depois esvai-se, longo, firme e saboroso, pleno de vida. Ronda os 40-50 euros no mercado. Este foi comprado a um preço bombástico.
Rolha: Natural, compacta, óptimo estado, apenas molhada na base
Consumido: Novembro 2011 
Apreciação: Com Alma

quarta-feira, 21 de Dezembro de 2011

Quinta do Vallado Touriga Nacional 2007 (Tinto)

Região: Douro
Castas: Touriga Nacional
Custo: 16,35 € (Garrafeira Nacional)
Álcool: 14,5%
Vertido na folha: Muito escuro, denso. O aroma denota alguma austeridade, floral da casta escondido, revelando-se a fruta e boa complexidade com o arejamento. Entrada de boca elegante, fino mas estruturado, cetim dialogante, revela doçura de fruta vermelha mas equilibrada por óptima acidez que lhe confere frescura. O final é longo e aprazível. Não é para todas as bolsas mas, para mim, faz parte do grupo de vinhos com boa RQP.
Rolha: Natural, colmatada, excelente estado, apenas molhada na base
Consumido: Novembro 2011
Apreciação: Com Alma

domingo, 18 de Dezembro de 2011

Vinha de Reis Reserva 2008 (Tinto)

Região: Dão
Produtor: Quinta de Reis
Castas: Touriga Nacional, Jaen, Tinta Roriz
Custo: - (Enviado pelo produtor)
Álcool: 14%
Vertido na folha: Cor carregada. Nariz sedutor e complexo com fruta, especiarias e perfume floral. Boca cheia, corpo generoso, equilíbrio perfeito em todas as componentes, saboroso e de uma elegância digna de registo. O final é longo e aprazível. Vinho com garra e finura em diálogo harmonioso, adivinha-se boa evolução em cave mas é difícil resistir a bebê-lo agora. Vale a pena ter o Reis na barriga...
Rolha: Natural, bojuda, algo fissurada, apenas molhada na base
Consumido: Novembro 2011
Apreciação: Com Alma

quinta-feira, 15 de Dezembro de 2011

Vinhos Portugueses Dourados 2011

Concursos Internacionais de Vinhos. Montra do que se faz a nível mundial nesta área. Os grandes vinhos raramente aparecem nestes concursos por motivo que (de tão óbvios) não carecem de explicação. Alguns dos restantes lá aparecem com sede de medalhas (ouro, prata, bronze, menções honrosas,...), que o que interessa é ter o autocolante na garrafa para despertar a atenção do consumidor. Quem as recebe (de preferência de Ouro) fica com um sorriso largo e, por vezes, os preços dos vinhos sobem em conformidade. Não raras as vezes, vinhos medalhados têm prestações não condizentes quando provados pelos enófilos profissionais ou amadores. Enfim, os concursos valem o que valem e o que interessa é o gosto pessoal de cada um. Fica o registo para a posterioridade dos Vinhos Dourados Portugueses (medalhados com Ouro) nos principais concursos internacionais em 2011:

Vinhos Premiados Ouro 2011

Guarda Rios 2008 (Tinto)

Região: Tejo 
Produtor: Quatro Âncoras
Castas: Syrah, Touriga Nacional, Merlot
Custo: € 6,00 (Revista de Vinhos)
Álcool: 14%
Vertido na folha: Boa intensidade de cor, denso, lágrima generosa. O aroma é dominado pela fruta, acompanhado por especiarias num todo aprazível. Corpo generoso, boca ampla, fresca e de muito bom equilíbrio entre os seus componentes, despede-se persistente com notas vegetais e fumadas. Prazer à mesa garantido. No entanto, com um PVP perto dos 10 euros há várias outras propostas que nos oferecem mais qualquer coisa...
Rolha: Natural, colmatada, algo fissurada, molhada apenas na base
Consumido: Outubro 2011
Apreciação: Cordial

segunda-feira, 12 de Dezembro de 2011

Cabriz Encruzado 2010 (Branco)

Região: Dão 
Produtor: Dão Sul
Castas: Encruzado
Custo: € 5,75 (El Corte Inglés)
Álcool: 13,5%
Vertido na folha: Cor citrina aberta. Aroma contido, sobressaindo ao álcool na primeira abordagem. Depois surgem os aromas típicos da casta. Entrada de boca fresca, alguma estrutura e finura mas parece que o álcool dá novamente um ar da sua graça no final. O vinho parece ter potencialidade mas nesta fase está à procura de identidade. Dêmos-lhe mais algum tempo.
Rolha: Natural, colmatada, apenas molhada na base
Consumido: Outubro 2011
Apreciação: Companheiro

sexta-feira, 9 de Dezembro de 2011

Prova Régia Premium 2010 (Branco)

Região: Bucelas
Produtor: Companhia das Quintas
Castas: Arinto
Custo: € 3,85 (El Corte Inglés)
Álcool: 13%
Vertido na folha: Amarelo citrino. Aroma fresco, cítrico com nuances vegetais verdes. Muito fresco na boca, com boa estrutura, envolvente, fino e saboroso, despede-se de forma muito agradável com um longínquo afloramento de madeira. Vinho que não deixa ninguém indiferente e com um preço ajustado aos dias que correm. Há algum tempo que não bebia um Prova Régia desta estirpe. Este trata-se de um lote seleccionado, comparativamente ao Prova Régia normal.
Rolha: Natural, fissurada, molhada apenas na base
Consumido: Outubro 2011
Apreciação: Cordial

terça-feira, 6 de Dezembro de 2011

Pelada 2003 (Tinto)

Região: Dão
Produtor: Álvaro Castro
Castas: "Field Blend" vinhas velhas, Touriga Nacional
Custo: € 14,47 (Continente; preço promocional)
Álcool: 13%
Vertido na folha: Granada escuro, denso, rebordo levemente acastanhado. Aroma profundo, complexo a fruta do bosque, especiarias e fumados. Encorpado, amplo e gordo é um vinho com um equilíbrio assinalável e de grande elegância. Termina longo, saboroso, com notas fumadas. Um vinho que coloca tudo o que tem de bom a nu. Para consumir agora e também para guardar. 
Rolha: Natural, colmatada, excelente estado, apenas molhada na base. 
Consumido: Outubro 2011 
Apreciação: Com Alma

sábado, 3 de Dezembro de 2011

Catedral Encruzado 2010 (Branco)

Região: Dão
Produtor: Enoport
Castas: Encruzado
Custo: € 2,40 (Continente; Preço promocional)
Álcool: 13%
Vertido na folha: Citrino-claro. Nariz agradável, leve, a fruta branca e toques tropicais. Na boca, sente-se o perfil anunciado no nariz, apresentando-se num estilo leve, delicado e com um final com leves toques de madeira (de aduelas, ao que parece). Um vinho que agradará a muitos consumidores.
Rolha: Natural, curta, fissurada, com duas zonas de progressão de vinho até cerca de 1/2 da rolha. Não é o 1º nem o 2º vinho da casa que bebo e que apresenta rolha de qualidade duvidosa. Vinho a preço acessível oblige? Um aspecto a rever.
Consumido: Outubro 2011
Apreciação: Companheiro

sexta-feira, 2 de Dezembro de 2011

Vinhos para o Natal e Passagem de Ano 2011/2012



 O Natal e o Fim de Ano estão aí a chegar e não tarda nada começa-se a pensar nos vinhos que se irão beber e partilhar nesta quadra festiva. Costuma ser nesta altura que se abrem aqueles que se supõem ser os melhores vinhos que teremos lá por casa ou, então, se adquirem propositadamente para o efeito. Este ano levámos com a troika em cima pelo que haverá, com certeza, maior comedimento nas compras quer em quantidade quer no preço a pagar. No entanto, continuamos a ter bons vinhos a preços sensatos pelo que o Natal e o Fim de Ano não serão menos alegres por esse facto. À semelhança do ano transacto, deixem-me partilhar convosco algumas sugestões de vinhos para esta quadra festiva. Dividi-os em várias categorias, em função do ambiente político/sócio/económico em que vivemos. Em cada categoria escolhi vinhos tranquilos brancos e tintos, espumantes e generosos.