segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Soalheiro Alvarinho 2009 (Branco)

Região: Verde
Produtor: VinuSoalleirus
Castas: Alvarinho
Custo: € 6,79 (Continente)
Álcool: 12,5%
Vertido na folha: Amarelo brilhante. Vegetais, citrinos e fruto tropical no nariz. Boca estruturada, cheia, acidez vincada, termina longo, com frescura cítrica e muito elegante e saboroso. Relativamente ao primeiro contacto com o vinho há uns meses atrás, o nariz perdeu notas tropicais mas ganhou em complexidade. A não perder, ano após ano, e ainda por cima o preço é convidativo. Grande Alvarinho, que merece guarda, se conseguir esperar por ele... 
Rolha: Compacta, apenas molhada na base.
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Com Alma

domingo, 30 de janeiro de 2011

Dalva Vintage 2000 (Porto)

Região: Porto
Produtor: C. da Silva
Castas: n/d
Custo: € 29,50 (Garrafeiras Soares)
Álcool: 20%
Vertido na folha: Escuro, quase opaco. Aroma penetrante com fruta silvestre e balsâmicos. Boca carnuda, possante e impactante com um final muito poderoso e em crescendo. Muito boa a associação com queijo azul.
Rolha: Partiu-se um pouco a ser retirada da garrafa, molhada apenas na base.
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Com Alma

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Quinta do Monte d'Oiro Reserva 2001 (Tinto)

Região: Lisboa
Produtor: Quinta do Monte d'Oiro
Castas: Syrah, Viognier
Custo: €17,97 (Continente; Preço promocional)
Álcool: 14%
Vertido na folha: Granada-tijolo. Nariz muito bom, notas balsâmicas, muita especiaria (cravinho, noz moscada?), fruta em 2º plano. Boca redonda, taninos delicados, frescura balsâmica, alguns torrados e final muito longo com agradável secura e algumas notas compotadas. Um vinho para beber com alguma parcimónia. Quem gostar de vinhos muito frutados, terá de ir bater a outras portas. Foi decantado 3-4 horas antes de ser servido. 
Rolha: Longa, compacta, impecável, a parte molhada pelo vinho não chega a 1mm de espessura.
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Com Alma

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Vinha Othon Reserva 2006 (Tinto)

Região: Dão
Produtor: António Canto Moniz
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen
Custo: €14,52 (Supermercados Sá)
Álcool: 14%
Vertido na folha: Vermelho-rubi vivo. Grande equilíbrio de fruta, flores, especiarias, notas vegetais e barrica. Boca muito ampla, encorpada, elegante, aveludado, amparado por acidez viva que prolonga o final com notas fumadas e boa secura. Um vinho muito equilibrado, em grande harmonia e de prazer imediato. Para o prazer que dá, o preço é bastante justo. 
Rolha: Em bom estado, molhada apenas na base, vinha com a inscrição "Vinha Paz"...
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Com Alma

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Munda Encruzado 2008 (Branco)

Região: Dão
Produtor: Quinta do Mondego
Castas: Encruzado
Custo: €5,49 (Jumbo; Preço promocional)
Álcool: 13,5%
Vertido na folha: Amarelo-dourado, cristalino. Aroma típico à casta com a fruta, vegetal seco e mineralidade a imperarem e com a madeira de estágio a acompanhar. Boca com boa expressividade, cheia, boa acidez e final longo e atraente. É um vinho para a mesa que flui (como as águas do Mondego, outrora denominado "Munda") e evolui muito bem ao longo da refeição.Óptimo preço (menos de 10 euros nas grandes superfícies) para esta qualidade. 
Rolha: Compacta, em bom estado, molhada apenas na base.
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Com Alma

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Yes We Can 2007 (Tinto)

Região: Tejo
Produtor: Herdade de Cadouços
Castas: Syrah, Aragonês, Touriga Nacional
Custo: €5,95 (Revista de Vinhos)
Álcool: 14%
Vertido na folha: Rubi com menisco levemente violeta. Nariz agradável com fruta, especearias e notas de barrica. Boca algo marcada pela madeira, boa acidez, taninos atrevidos que pedem acompanhamento sólido. É um vinho nitidamente gastronómico com bastante garra. Um vinho produzido em modo biológico, envelhecido ao som da canto gregoriano e em que o "Reserve" deu algum brado nas terras do tio Sam em 2009, por motivos óbvios.
Rolha: Relativamente escura, compacta, um pouco fissurada, molhada apenas na base.
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Cordial

sábado, 22 de janeiro de 2011

Porta dos Cavaleiros Touriga Nacional Reserva 2007 (Tinto)

Região: Dão
Produtor: Caves São João
Castas: Touriga Nacional
Custo: €5,99 (Continente)
Álcool: 13%
Vertido na folha: Granada de média intensidade. Aromas vegetais (mato seco), fruta, algum toque de madeira e o floral característico da casta. A boca é de porte médio, boa estrutura, taninos com coleira, acidez franca e alguma secura final que pede comida por perto. Ainda se descobre a baunilha após a deglutição. Um Dão que dá boa conta de si e que alegra a carteira visto o preço ser bem cordato.
Rolha: Longa, fissurada junto à base que fizeram o vinho progredir um pouco pela rolha mas ainda longe da superfície. 
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Cordial

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Quinta das Baceladas 2004 (Tinto)

Região: Bairrada
Produtor: Aliança
Castas: Merlot, Cabernet Sauvignon, Baga 
Custo: € 9,90 (Continente)
Álcool: 14,5%
Vertido na folha: Granada com menisco acastanhado. O Cabernet assalta-nos o nariz com os aromas característicos do pimento verde, mas vem acompanhado com balsâmicos, fruta e fumados, tudo em grande equilíbrio. Muito fresco na boca, surge a fruta, o chocolate e a barrica num perfil elegante e ao mesmo tempo com garra. Final de boca muito longo, complexo e guloso. Está em excelente forma, a pedir para ser bebido e também guardado pois estará para durar. Deve ser decantado antes de ser servido. A rolha apresentou-se em excelente estado. Uma das excelentes relações qualidade/preço do mercado e um refúgio seguro.
Rolha: Compacta, bom estado, 3-4 zonas de progressão preferencial do vinho pela rolha mas ainda confinadas junto à base.
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Com Alma

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Ardosino 2007 (Tinto)

Região: Douro
Produtor: Quinta da Carvalhosa
Castas: Tinta Roriz, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca
Custo: € 8,00 (Adegga Wine Market 2010)
Álcool: 13,5%
Vertido na folha: Rubi de profundidade média. Frutado com alguma exuberância e algumas notas abaunilhadas. A boca reproduz fielmente o nariz, intensa, sem arestas, com boa vivacidade e final de volta às notas de barrica.
Rolha: Longa, fissuras pronunciadas na base que fizeram o vinho molhar parcialmente a rolha até à superfície exposta ao ar. Atenção, portanto, a quem possa ter um vinho com uma rolha nas mesmas condições. 
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Cordial

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Lello 2008 (Tinto)

Região: Douro
Produtor: Vinhos Borges
Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Barroca
Custo: € 3,60 (Garrafeira Nacional)
Álcool: 13%
Vertido na folha: Rubi de intensidade média. Aroma dominado pelas notas vegetais e leve fruta preta. A boca é mediana, taninos finos, equilibrada mas algo simplista. Termina com média persistência. Vinho correcto, agradável mas bebe-se e esquece-se.
Rolha: Em bom estado, apenas molhada na base
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Correcto

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Terra a Terra Reserva 2007 (Tinto)

Região: Douro
Produtor: Quanta Terra
Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz
Custo: € 6,80 (Encontro de Vinhos e Sabores)
Álcool: 14,5%
Vertido na folha: Rubi de boa intensidade com um trio de castas típico do Douro. Para quem passou 15 meses em barrica, a madeira não se nota muito (2º ou 3º ano?), antes os frutos pretos madurões. A boca é de médio porte, taninos finos, suave, óptima acidez e final frutado com alguma secura a puxar por comida. Apesar dos 14,5% de álcool, este não se mostra, o que atesta o bom equilíbrio geral do vinho. O curioso é que a sensação que perdura algum tempo após a deglutição são notas de bolo-rei... Será verdade ou estarei sugestionado pela época natalícia? Um aspecto interessante é que o rótulo indica a data de engarrafamento. Não é muito comum e até deveria ser obrigatório. Bom vinho que até merece um slogan: Terra... a terra a quem o bebe. 
Rolha: Comprida, compacta, algumas fissuras na superfície cilíndrica, 3-4 pequenas zonas de progressão de vinho ao longo da rolha 
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Cordial

domingo, 16 de janeiro de 2011

Vinhos e tudo à volta segundo Aníbal Coutinho: Premiados da Edição W-2010

A Gala de divulgação de premiados decorreu no dia 15 de Janeiro 2011 às 15h e mereceu transmissão em directo através da internet em http://w-anibal.com/. A lista de nomeados nas 18 categorias pode ser encontrada aqui e os premiados foram:

Melhor Indicação Geográfica Protegida: Tejo
Melhor Denominação de Origem Protegida: Madeira
Melhor Enoturismo sem Estadia: Aliança Underground Museum (Anadia)
Melhor Enoturismo com Estadia: Herdade da Malhadinha (Beja)
Melhor Serviço de Vinhos em Restaurante de Rua: Veneza (Albufeira)
Melhor Serviço de Vinhos em Restaurante Integrado: Fortaleza do Guincho (Cascais)
Melhor Produtor de Vinhos Diários: Sogrape Vinhos
Melhor Produtor de Vinhos Tranquilos (calendário): Niepoort Vinhos
Melhor Produtor de Vinhos Fortificados: The Fladgate Partnership
Melhor Produtor de Vinhos Efervescentes: Quinta das Bágeiras
Melhor Vinho Tranquilo Branco: Soalheiro Primeiras Vinhas Alvarinho 2009
Melhor Vinho Tranquilo Rosé: Quinta da Romaneira 2009
Melhor Vinho Tranquilo Tinto: Quinta do Vallado Field Blend 2008
Melhor Vinho Fortificado: Blandy´s Malmsey Colheita 1985
Melhor Jovem Enólogo: Sandra Gonçalves
Melhor Enólogo: João Portugal Ramos
Acontecimento do Ano: Wine for iPhone, iPad and iPod
Personalidade do Ano: João Pires (Master Sommelier)

sábado, 15 de janeiro de 2011

Reserva dos Amigos Chardonnay 2009 (Branco)

Região: Lisboa
Produtor: Vidigal Wines
Castas: Chardonnay
Custo: € 3,49 (El Corte Inglés)
Álcool: 13,5%
Vertido na folha: Amarelo citrino com alguma intensidade. Não se notam os amanteigados tradicionais da casta, antes notas mais vegetais e cítricas. A boca é simpática, fresca, descomplicada e com estrutura para acompanhamento à mesa. Uma brisa atlântica para acalmar os calores de Verão.
Rolha: Superfície esbranquiçada, compacta, apenas molhada na base 
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Companheiro

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Burmester 2008 (Tinto)

Região: Douro
Produtor: Sogevinus
Castas: Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional
Custo: € 4,03 (Continente; preço promocional)
Álcool: 13,5%
Vertido na folha: Rubi com menisco violeta. Aroma a fruta doce, alguma flor e notas de baunilha. Boca com boa amplitude, corpo generoso, macio, sem arestas, acidez prazenteira, termina com persistência média e alguma secura. Ligeiramente abaixo relativamente à versão de 2007 mas continua a ser uma boa aposta para quem quer um vinho com boa prestação à mesa, para pratos com algum porte.
Rolha: Bom estado, apenas molhada na base 
Consumido: Dezembro 2010
Apreciação: Companheiro

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Adega Cooperativa de Pegões Touriga Nacional 2008 (Tinto)

Região: Setúbal
Castas: Touriga Nacional
Custo: € 3,98 (Continente)
Álcool: 14%
Vertido na folha: Rubi de média intensidade. Nariz com fruta vermelha, notas de pão e algum floral. Boca directa, fácil, redonda, sem complicações, termina com persistência média com leves notas tostadas. Vinho descomplicado, de gosto democrático mas algo unidireccional. No entanto, bastante competente para o preço.
Rolha: Algumas fissuras, apenas molhada na base
Consumido: Dezembro 2010 
Apreciação: Companheiro

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Gala Live on Internet de Vinhos- Prémios W-Aníbal Coutinho 2010


O quê: Divulgação dos premiados em 18 categorias pelo conhecido crítico de vinhos Anibal Coutinho. Gala em directo na Internet.
Quando: 15 de Janeiro 2011; 15h 
Onde: Aqui 
Preço: Gratuito
Promotor: Aníbal Coutinho
Mais informações: Aqui

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Monte da Cal Antão Vaz Viognier 2008 (Branco)

Região: Alentejo
Produtor: Dão Sul
Castas: Antão Vaz, Viognier
Custo: € 5,50 (Intermarché; preço mal marcado)
Álcool: 13%
Vertido na folha: Relativamente à prova anterior, a cor aparece um pouco mais carregada. Nota-se a barrica e a fruta branca no nariz. A entrada de boca continua discreta, desenvolvendo-se posteriormente num corpo de média intensidade mas interessante ao qual parece faltar um pouco de acidez para alegrar mais o conjunto. Permanecem as notas abaunilhadas no final de boca.
Rolha: Superfície lisa, compacta, bom estado, apenas molhada na base
Consumido: Dezembro 2010 
Apreciação: Cordial

domingo, 9 de janeiro de 2011

Casa Cadaval Trincadeira Vinhas Velhas 2007 (Tinto)

Região: Tejo
Produtor: Casa Cadaval
Castas: Trincadeira
Custo: € 8,90 (Jumbo)
Álcool: 13%
Vertido na folha: Vermelho-rubi, brilhante. Couro, notas especiadas e vegetais no primeiro impacto olfactivo. Com o arejamento,  desvanecem-se as notas de couro e surgem mais evidentes os aromas de fruta vermelha. A boca vai em crescendo, primando pela elegância mas com garra, equilibrada e com final persistente dominado por notas de charuto.
Rolha: Compacta, muito bom estado, a parte molhada pelo vinho não chega a ter 1 mm de espessura
Consumido: Dezembro 2010 
Apreciação: Cordial

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Serradayres Reserva 2008 (Tinto)

Região: Tejo
Produtor: Enoport
Castas: Castelão, Trincadeira, Touriga Nacional
Custo: € 2,41 (Continente; Preço promocional)
Álcool: 13,5%
Vertido na folha: Granada de boa intensidade. Aroma a fruta vermelha bastante madura com nuances florais e ligeira tosta. Boca equilibrada, macia, com alguma elegância, num corpo mediano que se despede com alguma secura que o torna bom companheiro à mesa. Nota-se um certo estilo Enoport no vinho, ou seja, vinho bem feito, de gosto democrático (se bem que parecido a outros da mesma casa) e a preço cordato, bem ao gosto de um país à beira do FIM, perdão, FMI... O vinho foi medalhado com "Ouro" no Vinalies d´Or 2010.
Rolha: Fissurada, completamente molhada pelo vinho até à superfície exposta ao ar. Quem comprou o vinho precisa de ter atenção à rolha para não ter uma surpresa desagradável.
Consumido: Novembro 2010
Apreciação: Companheiro

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Meandro do Vale Meão 2007 (Tinto)

Região: Douro 
Produtor: Quinta do Vale Meão
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinto Cão, Sousão
Custo: € 9,95 (Makro)
Álcool: 14,5%
Vertido na folha: Rubi medianamente carregada. Muita fruta vermelha e preta bem madura no nariz, perfume floral, notas vegetais e de barrica bem integradas. Boca com algum corpo, fruta doce cortada por acidez que amplia a boca e taninos redondos num equilíbrio geral bem evidente. Termina longo ao fruto, com notas fumadas e chocolate preto. Um vinho que é um refúgio seguro.
Rolha: Bom estado
Consumido: Novembro 2010
Apreciação: Cordial

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Como servir bem um Champanhe?

Bem gelado e com a taça inclinada.
A ciência colocada ao serviço do vinho, ou mais concretamente, a uma taça de champanhe. Espreitem o link abaixo.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Dona Ermelinda Reserva 2007 (Tinto)

Região: Setúbal
Produtor: Casa Ermelinda Freitas
Castas: Castelão, Touriga Nacional, Trincadeira, Cabernet Sauvignon
Custo: € 6,49 (Pingo Doce)
Álcool: 14%
Vertido na folha: Granada de boa intensidade. Aroma agradável com fruta madura, algumas notas vegetais, muito ligeiro floral, cacau e barrica. Boca equilibrada, redonda, de porte médio, muito polido e elegante com final médio/longo abaunilhado e agradável ligeira secura. Um clássico da Casa Ermelinda Freitas, sempre bem feito e prazenteiro. Um vinho democrático na facilidade de prova e muito gastronómico. Como curiosidade, o acompanhamento com um queijo S. Julião trouxe um final de boca com boas notas de chocolate preto.
Rolha: Bojuda, fissurada, molhada apenas na base
Consumido: Novembro 2010
Apreciação: Cordial

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Pegos Claros 2005 (Tinto)

Região: Setúbal
Castas: Castelão
Custo: € 3,99 (Intermarché)
Álcool: 14%
Vertido na folha: O contra-rótulo do vinho diz tudo, sendo bastante fiel às sensações tidas durante o seu consumo. De cor granada, revela no nariz os frutos vermelhos compotados, as notas de barrica onde a baunilha se manifesta e as notas vegetais de bosque (pinheiro e eucalipto). A boca é franca, harmoniosa, suave mas com estrutura tânica que apimenta o conjunto e o final é relativamente longo, muito prazenteiro e excelente companheiro de mesa. Há algum tempo que não bebia um Castelão extreme (cada vez mais raro nos tempos que correm) mas este, e até pelo preço, merece ser apreciado. As vinhas de onde saiu têm já alguma idade (superior a 40 anos) sendo, provavelmente, esse um dos segredos para a boa prestação do vinho. Teve ainda direito a pisa a pé e a um estágio de 1 ano em madeira francesa e portuguesa. É fácil de encontrar nas grandes superfícies e na Garrafeira Nacional ainda se poupam alguns cobres (€ 3,00).
Rolha: Em bom estado
Consumido: Novembro 2010
Apreciação: Cordial

sábado, 1 de janeiro de 2011

Quinta do Vale Meão Vintage 2001 (Porto)

Região: Porto
Produtor: Quinta do Vale Meão
Castas: n/d
Custo: € 9,90 (Modelo)
Álcool: 19,5%
Vertido na folha: Muito escuro e denso. Óptimo nariz, fruta seca, alicorados e notas vegetais. Boca sólida, concentrada, bombom doce de fruto em passa, taninos sólidos, termina longo. Não é um daqueles Vintage impactantes mas é muito guloso e muito bom, num ano de Vintage não clássico. O preço indicado não é o real. Tive sorte em encontrá-lo àquele preço no Modelo de Albufeira há uns anos atrás, provavelmente mal marcado.
Rolha: Compacta, em bom estado, molhada apenas na base
Consumido: Novembro 2010
Apreciação: Com Alma