Status Grande Escolha 2007 (Tinto)

Região: Dão
Produtor: Vinícola de Nelas
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen, Alfrocheiro Preto
Custo: € 2,98 (Jumbo; preço promocional)
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Ruby relativamente carregado com nuances violeta. Sobressaem as notas vegetais e especiarias com alguma fruta vermelha. Boca fresca, estrutura mediana com alguma rusticidade, notas de madeira e final de persistência média com alguma secura. Apreciado em Junho de 2010.

Casa da Ribeira Touriga Nacional 2004 (Tinto)

Região: Lisboa
Produtor: Agrovitis, Sociedade Agro-Alimentar
Castas: Touriga Nacional
Custo: € 4,00
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Boa cor mas contaminado com "rolha". Abertas três garrafas… Comprado directamente ao produtor. Já tinha bebido este vinho duas ou três vezes, incluindo a boa colheita de 2001, sem problemas a este nível. Esta colheita mereceu, inclusive, uma medalha de ouro no Concurso Nacional de Vinhos Engarrafados 2007. Problemas de armazenamento na adega? Apreciado em Junho de 2010.

Quinta do Gradil 2004 (Tinto)

Região: Lisboa
Produtor: Martim Joanes Gradil (Dão Sul)
Castas: Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Syrah
Custo: € 9,00-11,00
Álcool: 14,0º
Vertido na folha: Muito escuro e ainda ruby, a cor desmente a idade do vinho. Aromas licorosos, eucalipto e alguma fruta ao fundo. Boca com alguma intensidade, presença tânica, acidez fresca de menta, algum cacau e boa secura final. Apesar da idade e da concentração, o vinho não tinha pé. O preço ronda os 10 euros mas este foi comprado a pouco mais de 5 euros no Intermarché de Évora. Um vinho que desconhecia (há bastante tempo que tenho pensado adquiri-lo, ainda a colheita de 2003 estava no mercado) e que me surpreendeu pela positiva. Apreciado em Junho de 2010.

Messias Unoaked 2008 (Tinto)

Região: Douro
Produtor: Caves Messias
Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz
Custo: € 4,00-5,00
Álcool: 12,5º
Vertido na folha: Cor profunda com laivos violeta. O primeiro impacto olfactivo é um perfumado floral acompanhado de vegetal seco em dose generosa e fruta em segundo plano. Com o tempo no copo, a fruta emerge à custa do aroma floral. A boca é fresca, simples e directa com taninos algo espigadotes e alguma secura final. Com o tempo (dia seguinte à abertura da garrafa) o vinho ganha um pouco mais de complexidade, apresentando uma boca mais franca e final mais aprazível. É um tinto de perfil jovem com teor alcoólico bem moderado e a pedir consumo à mesa e depressa pelo que não se espere pelo Messias…Unoaked. Comprado nas garrafeiras Why Not em Albufeira (€4.99). Apreciado em Junho de 2010.

Porto Vintage 2007 por Roy Hersh

Os apreciadores de Vinho do Porto podem encontrar as notas de prova de algumas dezenas de Vintage 2007 elaboradas por Roy Hersh em For The Love of Port Vintage 2007 ou aqui. Também estão disponíveis as notas de prova dos Vintage 2000, Vintage 2003, Vintage 2004 e Vintage 2005.

TCA e o gosto e cheiro a rolha num vinho

O denominado gosto e cheiro “a rolha” é um problema bem conhecido para a indústria vitivinícola e constitui um defeito do vinho. O defeito é normalmente atribuído à rolha que não foi tratada adequadamente durante a sua produção mas também pode dever-se a deficientes condições de transporte e armazenamento de rolhas e vinho ou produção e manutenção das barricas. A contaminação é geralmente associada à presença de 2,4,6-tricloroanisol (TCA), uma molécula orgânica cuja estrutura está representada abaixo. Esta substância pode resultar da acção do cloro sobre compostos fenólicos existentes na cortiça, sendo causada por uma série de fungos e potenciada em ambientes húmidos. Os descritivos mais comuns do cheiro a rolha são o mofo e cheiro a pano molhado. Note-se que apesar do “cheiro a rolha” ser desagradável num vinho, a presença de TCA nas concentrações geralmente existentes é inofensiva para a saúde. Refira-se ainda que o limite de detecção (na ordem das nanogramas por litro) varia de individuo para individuo e o cheiro cria um “efeito de memória” no nariz, ou seja, torna-se menos evidente a cada inalação.


8º Simpósio de Vitivinicultura do Alentejo: Comunicações Científicas

Entre 5 e 7 de Maio decorreu em Évora o 8º Simpósio de Vitivinicultura do Alentejo. Foram apresentadas várias comunicações de índole científica versando sobre vários aspectos da vitivinicultura. As actas com as comunicações científicas podem ser encontradas na Comissão Vitivinícola Regional Alentejana ou aqui.

Adegas de Portas Abertas: Península de Setúbal (4 Julho 2010)

O quê: Visitas guiadas com provas de vinho mediante marcação prévia e horários definidos (Herdade da Comporta, Bacalhôa, Casa Ermelinda Freitas, Quinta de Alcube, Venâncio da Costa Lima, José Maria da Fonseca, Casa Agrícola Horácio Simões) 
Preço: Só se paga na Sivipa... (15 € !)
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Degustações: Doçaria Regional com Moscatel de Setúbal (3-4 Julho 2010)

O quê: Doces, doces e mais doces com Moscatel de Setúbal.
Onde: Casa Mãe da Rota dos Vinhos
Preço: 3.50  
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Dia do vinho: Castelo de Palmela (3-4 Julho 2010)

O quê: Mostra e venda de vinhos e produtos regionais
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Rota Enoturística: De Atalaia a Pegões (3 Julho 2010)

O quê: Visita ao Museu Agrícola da Quinta da Atalaia, visita e provas na Cooperativa Agrícola Sto. Isidro de Pegões.
Hora: 16h
Preço: Gratuito
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Semana Gastronómica do Vinho, Setúbal (28 Junho a 4 Julho 2010)

O quê: Menus ligados ao vinho na restauração local. Oferta de garrafa de vinho para acompanhar a refeição.
O que é preciso: Fazer as reservas através da "Rota dos Vinhos da Península de Setúbal".
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Vinha da Defesa 2008 (Branco)

Região: Alentejo 
Produtor: Herdade do Esporão
Castas: Antão Vaz, Arinto, Roupeiro
Custo: € 5,00-6,50
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Amarelo dourado. Aroma frutado (tropicais) acompanhado com algumas notas cítricas e minerais. O primeiro impacto de boca é algo mortiço, com corpo mediano, alguma doçura e acidez q.b.. No final, o vinho enche um pouco mais a boca, terminando com média persistência e focado na fruta. Deve beber-se bem fresco para potenciar melhor o vinho. Falta-lhe um pouco mais de vigor para outras andanças. Encontra-se facilmente nas grandes superfícies. Apreciado em Junho de 2010.

Rota Enoturística: Quinta do Anjo (26 Junho 2010)

O quê: Visita a centro de Artesanato, prova de vinhos na adega Venâncio da Costa Lima, visita e jantar na Casa Agrícola Horácio Simões
Hora: 17h
Preço: 25€
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Curso de Iniciação à prova de Vinhos (26 Junho 2010)

Onde: Adega Cooperativa de Palmela
Hora: 15h30
Inclui: Visita à adega e jantar no Restaurante D. Isilda em Palmela 
Preço: 35 € 
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Rota Enoturística: Pic-nic nas vinhas (19 Junho 2010)

O quê: Moscatel de Honra, prova de vinhos comentada e degustação de produtos regionais na Quinta do Piloto 
Hora: 16h 
Preço: 12  
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Rota Enoturística: A Bordo do Galeão no Estuário do Sado (13 Junho 2010)

O quê: Passeio de barco, animação, queijos e vinhos
Hora: 10-13h
Preço: 25  
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Vinho à Borla II (5 Junho 2010)

Onde: Casa Mãe da Rota dos Vinhos de Setúbal
Hora: 20-24h
O que é preciso: assistir a um concerto de quarteto de saxofones
Preço: 3  
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Vinho à borla (5 Junho 2010)

Onde: Restaurante D. Isilda, em Palmela
O que é preciso: Lá ir jantar...
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Rota Enoturística Setúbal: Do Palácio à Adega (5 Junho 2010)


O quê: Visitas guiadas ao Palácio da Bacalhôa, Casa Museu José Maria da Fonseca e Museu do Queijo de Azeitão, provas de vinhos e queijos 
Hora: Início às 15h 
Preço: 7.50
Promotor: Rota dos Vinhos de Setúbal

Vinho tinto excita as mulheres

(Excerto de um texto publicado hoje no Jornal  Expresso Online)

O interesse das mulheres pelo vinho cresceu significativamente nos últimos anos. Sobretudo pelo tinto. Quem se ponha a observar num restaurante, rapidamente percebe que num jantar só de mulheres é quase obrigatório as garrafas de vinho tinto estarem presentes na mesa, bem como a euforia e a satisfação ao bebê-lo. A propósito do consumo de vinho pelas mulheres, a Universidade de Florença fez um estudo com 798 italianas com idades compreendidas entre os 18 e 50 anos. Os pesquisadores dividiram as mulheres em três categorias, de acordo com o hábito diário de consumo de vinho: as mulheres que bebem regularmente de um a dois copos de vinho; as que não consomem vinho; e as que bebem mais de dois copos de vinho por dia. Além disso, as voluntárias também responderam a questionários com 19 perguntas sobre sexualidade, com o objectivo de medir o FSFI (Female Sexual Function Index), uma medida usada noutros estudos científicos. O grupo de mulheres que apresentou os maiores índices de desejo sexual, de acordo com as respostas dos questionários, foi aquele onde as mulheres consumiam um a dois copos de vinho por dia. Os estudiosos destacam, no entanto, que a pesquisa precisa de ser encarada com cautela, não só devido à dimensão reduzida da amostra, mas também pela falta de dados provenientes de exames laboratoriais. Talvez por isso, o estudo apenas sugere uma correlação entre o consumo de vinho tinto e a libido feminina. Outra ressalva feita pelos pesquisadores refere-se a questões como a excitação, satisfação e orgasmo. Ou seja, o vinho pode até fazê-la querer mais, no entanto, isso não significa um orgasmo garantido... 

Casa da Atela Fernão Pires 2008 (Branco)

Região: Tejo
Produtor: Sociedade Agrícola Gouxa e Atela
Castas: Fernão Pires
Custo: € 4,00-5,00
Álcool: 13,7º
Vertido na folha: Amarelo dourado. Aromas vegetais (folhas secas?) e algum floral. Boca com alguma complexidade e peso, fruta branca ligeira, mineral e acidez moderada com um final de média persistência. Acompanhou uma dourada grelhada mas confesso que o vinho necessita de pratos com outra substância. Apreciado em Maio de 2010.