Bacalhôa Moscatel de Setúbal 1998

Região: Moscatel de Setúbal
Produtor: Bacalhôa Vinhos de Portugal
Castas: Moscatel
Custo: 13,50-16,00 €
Álcool: 17,5º
Vertido na folha: Laranja cobreado. Aparecem o fruto seco, a casca de laranja e os aromas melados no nariz, tudo muito complexo. A boca é gorda, glicérica, com enorme doçura, cortada pela acidez citrina num todo complexo e envolvente. O final é muito longo. É uma óptima relação qualidade/preço, embora já não se encontre muito à venda. O que está no mercado é a versão de 1999 que vem na mesma linha de qualidade geral. Apreciado em Maio de 2010.
P.S.: A Bacalhoa possui outro Moscatel no mercado (colheita de 2003) que é entrada de gama e que não tem os mesmos mimos que o irmão, nomeadamente no processo de estágio (apesar de ser muito bom para o preço que apresenta). É pena que os mais incautos não consigam, com facilidade, fazer a distinção dos vinhos através do respectivo designativo. O que os distingue são os rótulos.

Concurso Melhores Verdes 2010 (Colheita de 2009)

São já conhecidos os resultados do Concurso Melhores Verdes 2010 (Colheita de 2009), organizado pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes.

Os cinco magníficos foram os seguintes:

Quinta da Levada – Azal
Corga da Chã – Arinto
Quinta de Gomariz
Quinta de Gomariz Avesso
Casa de Vilacetinho – Arinto

Estes são os Best of Vinho Verde, uma categoria introduzida na edição de 2009 e que pretende eleger os cinco melhores Vinhos Verdes engarrafados, entre os melhores. A escolha foi feita por um júri internacional, composto por sete elementos, seis dos quais estrangeiros (o português foi o Luís Lopes, da RV) e que representam os principais mercados internacionais de exportações (EUA, Canadá, Reino Unido, Brasil, Noruega e Alemanha).

As categorias foram:

Vinhos Verdes sem indicação de casta na rotulagem
Vinhos Verdes de Casta
Vinhos Verdes Espumantes
Vinho Regional Minho
Aguardente da Região dos Vinhos Verdes

Informação detalhada em CVRVV Concurso 2010.

Quinta da Alorna Touriga Nacional & Cabernet Sauvignon 2007 Reserva (Tinto)

Região: Tejo
Produtor: Quinta da Alorna
Castas: Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon
Custo: € 5,00-6,00
Álcool: 13,0º
Vertido na folha: Granada/violeta escuro. Bom nariz, com as notas florais típicas da Touriga e vegetais do Cabernet, acompanhadas das especiarias da barrica e fruta vermelha fresca. Boca envolvente na linha do que o nariz nos mostrou, boa acidez e com final de persistência média. Com um corpo mais cheio e final mais complexo e persistente seria um vinho para outro campeonato. No entanto, para a qualidade demonstrada e a este preço, não há muita oferta no mercado. Venham mais destes a este preço!... Apreciado em Maio de 2010.

"Público", Suplemento Fugas: Vinhos e comidas para o Verão (29/5/2010)

Tal como aconteceu no ano passado, o suplemento Fugas do jornal Público deste sábado (29 de Maio) é inteiramente dedicado aos vinhos, com artigos da equipa da Revista de Vinhos. A primazia é para os vinhos brancos e podem encontrar-se:

-Comentários sobre as castas brancas e exemplos de vinhos que as tipificam
-Prova de brancos entre os 8-12 euros e abaixo dos 4 euros.
-Prova de brancos "fora de modas"
-Relação vinho/comida, nomeadamente a famigerada relação vinho/sardinhas

E ainda:

-Restaurantes de praia
-Visitas a produtores
-Enoturismo
-Um "quiz" de resposta múltipla sobre vinhos.

Boa leitura.


Quinta das Herédias Vintage 1997 (Porto)

Região: Porto
Produtor: Sociedade de Vinhos Senhora do Convento, SA
Castas: Várias
Custo: n/d
Álcool: 19,5º
Vertido na folha: Ruby acastanhado. Notas de rebuçado e caramelo no nariz. A boca é idêntica ao nariz, directa, sem grandes laivos de complexidade. O final é relativamente curto, apresentando uma ambivalência doce/amarga. Note-se que a rolha se desfez completamente ao ser retirada, apresentando-se completamente seca. A garrafa foi adquirida numa grande superfície há 4-5 anos a um preço inferior a 10 euros. Apreciado em Maio de 2010.

Conventual Reserva 2008 (Branco)

Região: Alentejo
Produtor: Adega Cooperativa de Portalegre
Castas: Arinto, Fernão Pires, Roupeiro 
Custo: € 5,50-6,00
Álcool: 13,5º 
Vertido na folha: Amarelo. Chegam-nos às narinas aromas florais com algum fundo de fruto tropical. A boca apresenta alguma complexidade, com notas amargas e minerais e frescura mediana. O final não é especialmente longo. Parece-me ser um branco de meia estação, apesar das suas virtudes serem melhor demonstradas se for bebido bem fresco. Apreciado em Maio de 2010.

Escalas de pontuações de vinhos

Este tema dava pano para mangas. Neste mundo, a matemática não é uma ciência exacta. Veja-se os casos da escala de pontuações de 100 pontos (escola americana) de Robert Parker/Wine Spectator, Wine Enthusiast, etc..) e a escala dos 20 pontos (escola francesa) usada, nomeadamente, por Jancis Robinson e por cá pela RV e variados guias. Para não falar das avaliações qualitativas ou semi-quantitativas seguidas por muitos outros (estrelas, recomendado, não recomendado, etc..). Mesmo entre as mesmas escalas, por ex., na escala de 100 pontos, um vinho de 90 pts para Robert Parker não terá a mesma correspondência apreciativa na avaliação da Wine Enthusiast. Alguém deu-se ao trabalho de fazer um esquema comparativo entre escalas. Encontrei há já bastante tempo na web um pdf sobre o assunto. Compartilho-o agora por aqui:

Concurso Mundial de Bruxelas 2010

A notícia já tem algum tempo, mas para os mais distraídos, segue lista das "estrelas nacionais" (Grande Medalha de Ouro) em cada categoria de vinhos provados:

Adega Coop. Pegões Alicante Bouschet 2008 (Setúbal)
Andressen 40 Anos (Porto)
Casal da Coelheira Rosé 2009 (Tejo)
DFE Signature 2007 (Douro)
Encostas de Estremoz Reserva 2007 (Alentejo)

O Pegões custa (ainda) cerca de €4,72 no Jumbo; o Andresen desconheço o preço cá (encontrei no mercado britânico a cerca de 60 libras); O Coelheira (melhor rosé do concurso) desconheço-lhe o preço; O DFE deverá andar à volta de 17 euros; O Encostas pode ser encontrado a 13,50 euros na Garrafeira Nacional e já foi alvo de prova no blog.

Outros números: o total de vinhos provados no concurso foram 6964. Os Portugueses foram 439 com 65 medalhas de ouro e 107 de prata.

Mais informações em http://www.concoursmondial.com/

Curso de Vinhos Nível I (24-26 de Maio 2010)

Onde: Vinodivino, Lisboa
Formador: João Paulo Martins
Detalhes: CursoVinhos

Rótulos Casa Ermelinda Freitas e Adega Cooperativa de Pegões

Todos sabemos a importância do rótulo para a imagem de um vinho. Há um blog muito interessante sobre o assunto (imagem do vinho) para quem quiser acompanhar. O que me leva a escrever estas linhas são os rótulos dos vinhos monovarietais da Casa Ermelinda Freitas e Adega Cooperativa de Pegões. Os rótulos são tão parecidos que quase nos enganamos a pegar numa garrafa se eles estiverem lado-a-lado. Quando passarem por uma grande superfície ou garrafeira, vejam. A cada casta está associada uma cor, por exemplo, Alicante Bouschet (Azul) e Trincadeira (Amarelo), cores idênticas para os vinhos dos dois produtores.
Há quem diga que os vinhos são iguais ou muito parecidos (as vinhas são próximas, o enólogo é o mesmo... ) mas será que os rótulos também tinham de o ser?

Portal do Fidalgo 2008 (Branco)

Região: Vinho Verde
Produtor: Provam
Castas: Alvarinho
Custo: € 6,00-8,00
Álcool: 12,8º
Vertido na folha: Citrino dourado. Notas minerais e citrinas no nariz, com muito ligeiro tropical, ao contrário de colheitas anteriores. Muito fresco na boca, com acidez bem vincada, apresenta-se equilibrado e com final fino e elegante. Um Alvarinho democrático. É sempre uma óptima aposta desde há vários anos a esta parte. Aguarde-se pelo 2009. Apreciado em Maio de 2010.

Cartuxa 2007 (Tinto)

Região: Alentejo 
Produtor: Fundação Eugénio de Almeida
Castas: Aragonês, Alicante Bouschet, Alfrocheiro, Trincadeira
Custo: € 15,50-18,50
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Granada com rebordo violáceo. Nariz doce, fruta vermelha, eucalipto e especiarias. A boca não desengana o nariz, com médio porte, elegante, taninos finos e acidez com frescura balsâmica. Final longo e especiado com presença de notas amargas de cacau. Vinho bastante equilibrado e de boa prova. Poderia, no entanto, ser mais acessível no preço. Esta foi-me oferecida... Apreciado em Maio de 2010.

Burmester 2007 (Tinto)

Região: Douro
Produtor: Sogevinus
Castas: Tinta Roriz, Touriga Franca, Touriga Nacional
Custo: € 4,00-6,00
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Ruby com boa profundidade. Cheira e sabe a Douro. Fruta madura em dose generosa no nariz, envolta em aromas balsâmicos. Algum volume de boca, taninos visíveis mas sedosos, a madeira arredonda o conjunto e a acidez confere-lhe frescura. Final de persistência média com a baunilha a espreitar e algum cacau a marcar presença no final. É um Douro típico bastante equilibrado, bom companheiro de mesa e bastante generoso no preço. Apreciado em Maio de 2010.

O vinho e os benefícios para a saúde

Como é sabido, o vinho tem propriedades que beneficiam a saúde, nomeadamente, nos domínios cardiovascular e protecção contra a deterioração celular. Uma das substâncias responsáveis pela acção benéfica do vinho, principalmente do vinho tinto, é o resveratrol (um polifenol) que desempenha uma função antioxidante. Esta substância pode ser encontrada principalmente nas grainhas e nas películas das uvas tintas. A molécula está representada abaixo:



Sobre a relação vinho/resveratrol/benefício para a saúde, e a título de exemplo, veja-se:
Vinho e Saúde
Vinho e o Coração
Vinho e Cancro
Benefícios do resveratrol

A acidez e o pH

Como se sabe, o vinho é uma bebida ácida. Não me vou alongar sobre os constituintes do vinho que conferem a acidez característica. A acidez de um vinho é medida através do seu pH. Geralmente, o pH de um vinho situa-se entre 2,8 e 3,8. Que escala é esta? Leia-se alguma informação didáctica sobre o conceito e escala de pH em:

Valor do pH

A Química Doce do Vinho

Falando um pouco da Química do Vinho, que tipo de compostos são responsáveis pela doçura de um vinho? Como classificar um vinho quanto ao teor de açúcar residual? Um pequeno apontamento para leigos sobre o assunto pode ser encontrado no site da Universidade de Évora:

Química doce do vinho

Morgado Santa Catherina Reserva 2008 (Branco)

Região: Bucelas
Produtor: Companhia das Quintas
Castas: Arinto
Custo: € 9,00-10,00
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Amarelo vivo. Nariz cítrico, mineral e fumado de barrica. Entrada de boca suave, fluida, amanteigada, deixando à sua passagem algumas notas tropicais. O final é longo e muito elegante. Relativamente a anos anteriores, nota-se menos a madeira e o vinho não enche tanto a boca. O vinho ganhou em elegância de conjunto embora não me pareça que a acidez seja muito vincada. Apreciado em Maio de 2010.

Paço dos Cunhas de Santar Vinha do Contador 2008 (Branco)

Região: Dão
Produtor: Dão Sul
Castas: Malvasia, Cerceal, Encruzado
Custo: € 13,00-16,00
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Amarelo citrino de média intensidade. Finesse no nariz com especiarias, notas minerais, cítricos e madeira discreta, tudo muito bem harmonizado. Na boca parece seda, algum toque floral, especiado, limonado, todo ele muito fresco e cativante. O final é macio e do mais longo que se pode pedir a um branco. Não sei com que se deve acompanhar este vinho à mesa. À falta de outra ideia, beba-se a solo e desfrute-se. Apreciado em Março de 2010. (Prémio de Excelência 2009 da Revista de Vinhos).

Fonte das Moças Reserva 2006 (Branco)

Região: Estremadura
Produtor: João Melícias Unipessoal
Castas: Fernão Pires, Arinto
Custo: € 4,00-6,00
Álcool: 13,0º
Vertido na folha: Cor e aromas evoluídos. Na boca é relativamente inexpressivo. Melhora um pouco com arejamento, mas este já vendeu a alma ao criador. Há meses atrás provei outra garrafa onde o vinho mostrava ainda bastante personalidade, com bom volume de boca e ainda a acidez a mostrar-se e a pedir pratos com alguma substância. Enfim, talvez algum problema com esta garrafa. Comprado directamente ao produtor. Apreciado em Março de 2010.

Herdade do Meio Garrafeira 2004 (Tinto)

Região: Alentejo
Produtor: Casa Agrícola João e António Pombo
Castas: Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet, Castelão
Custo: € 22,00-40,00
Álcool: 14,0º
Vertido na folha: Rubi carregado. Relativamente fechado no nariz. Após decantação sobrelevam-se as notas de fruta madura envolvidas em notas de fumo e especiadas de barrica, tudo em forma densa, carregada. O corpo é denso, mastigável, com notas compotadas, cacau e taninos firmes a dizerem que ainda temos vinho por bastante tempo. O final é muito longo, persistente e bastante cativante. Este é para beber com alguma calma, acompanhado com sólidos à mesa ou a solo. É um Alentejano atípico e bem-vindo para quebrar alguma monotonia dos vinhos fáceis e redondinhos das terras além Tejo. Apresenta grande disparidade de preços mas é de aproveitar quando o hipermercado Continente/Modelo faz, por vezes, descontos generosos. Esta ficou-me a menos de €6,00... Apreciado em Março de 2010.

Burmester Tordiz Tawny 40 Anos (Porto)

Região: Porto
Produtor: Sogevinus
Castas: Várias
Custo: € 132,00-200,00
Álcool: 20,0º
Vertido na folha: Acastanhados orlados com laivos esverdeados. No nariz aparecem os frutos secos em dose generosa, melados e álcool em perfeita harmonia. Entrada de boca fina, elegante, é fresco, vivo, envolvente, explodindo suavemente após deglutição, manifestando todo o seu vigor e retronasal a condizer. Para ocasiões especiais, uma boa conversa (este dá que falar…) e charuto a acompanhar. É um grande vinho, em todo o lado. Garrafeira Nacional foi o local onde o encontrei mais barato. Apreciado em Março de 2010.

Muros Antigos Loureiro Escolha 2008 (Branco)

Região: Vinho Verde
Produtor: Anselmo Mendes Vinhos, Lda
Castas: Loureiro
Custo: € 4,90-6,00
Álcool: 12,0º
Vertido na folha: Amarelo médio. Notas citrinas e minerais com fruta tropical e algum floral a compor o conjunto. Boca fresca, envolvente, com final com alguma persistência. Na garrafeira Nacional a bom preço. Apreciado em Maio 2010.

Portal Relato 2008 (Branco)

Região: Douro
Produtor: Quinta do Portal
Castas: Gouveio, Malvasia Fina, Viosinho
Custo: € 5,00-6,00
Álcool: 13,0º
Vertido na folha: Amarelo citrino ténue. Nariz cítrico, notas tropicais e com leve floral. Boca muito fresca, bom corpo e um toque de gás residual. Final médio a fruto tropical amargo. Um vinho para se beber bem fresco a acompanhar o Verão. Comprado no El Corte Inglês. Apreciado em Maio 2010.

Três Bagos Sauvignon 2008 (Branco)

Região: Douro
Produtor: Lavradores de Feitoria
Castas: Sauvignon Blanc
Custo: € 9,00-10,00
Álcool: 13,4º
Vertido na folha: Amarelo-dourado. Chega-nos ao nariz a fruta tropical (maracujá) e especiarias em dose generosa. A boca não desengana o nariz. A tropicalidade enche a boca, envolvida pela acidez muito fresca e com notas minerais a compor o conjunto. O final é longo, envolvente e especiado. É um vinho muito bom, que acompanhou muito bem um caril de frango. Note-se que ao fim de duas horas, após uma sobremesa e café, ainda se sentiam algumas notas tropicais na boca. Apreciado em Maio de 2010.

Monte da Cal Antão Vaz Viognier 2008 (Branco)

Região: Alentejo
Produtor: Dão Sul
Castas: Antão Vaz, Viognier
Custo: € 9,00-10,00
Álcool: 13,0º
Vertido na folha: Amarelo-claro. No nariz percebe-se a fruta cítrica e um leve tropical. A entrada de boca é discreta mas desenvolve-se rapidamente uma frescura sedutora, um corpo esguio e abaunilhado. O final é médio/longo com alguma elegância. Apreciado em Abril de 2010.

Cabriz Encruzado 2008 (Branco)

Região: Dão
Produtor: Dão Sul
Castas: Encruzado
Custo: € 6,50-7,50
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Amarelo citrino. Fruta branca no aroma (maçã reineta?), notas de madeira e o que parece ser uma ligeira evolução. Boca relativamente densa, aveludada com sugestões de fruta fresca cítrica e notas minerais/metálicas. Termina médio/longo. Apreciado em Abril de 2010.

Duas Quintas 2008 (Branco)

Região: Douro
Produtor: Ramos Pinto
Castas: Viosinho, Rabigato, Arinto
Custo: € 8,00-10,00
Álcool: 13,0º
Vertido na folha: Amarelo (bastante) pálido. Aroma algo envergonhado mas com percepções de fruto tropical e algum floral. Boca com algum corpo, mineral, fruta verde, e acidez servida em dose generosa. Final médio e fresco. Acompanhou um arroz de vários peixes. Apreciado em Março de 2010.

Planalto Reserva 2008 (Branco)

Região: Douro
Produtor: Sogrape
Castas: Malvasia Fina, Viosinho, Gouveio, Códega
Custo: € 3,50-4,50
Álcool: 12,5º
Vertido na folha: Amarelo pálido. Nariz cítrico delicado e pouco falador. Mesmo perfil na boca, macio, boa acidez, alguma fruta de macieira, termina fresco. Um clássico do Douro que acompanha mariscos e pratos leves, e que deve ser consumido bastante fresco (8-10 ºC). Acompanhou uma trouxa de salmão com camarão em massa filo. Apreciado em Março de 2010.

Quinta de La Rosa 2008 (Branco)

Região: Douro
Produtor: Quinta de La Rosa
Castas: Viosinho, Rabigato, Gouveio
Custo: € 8,00-10,00
Álcool: 13,7º
Vertido na folha: Cor palha. Nariz impecável com notas cítricas e minerais envolvidas em fruto tropical (maracujá). Boca de médio porte, o vinho é fino e complexo com final persistente e afloramentos bem integrados dos tostados da barrica. Acompanhou um polvo à lagareiro. Um vinho que se recomenda. Apreciado em Fevereiro de 2010.

Herdade Grande Colheita Seleccionada 2008 (Branco)

Região: Alentejo
Produtor: Herdade Grande
Castas: Antão Vaz, Arinto, Roupeiro
Custo: € 5,70-8,00
Álcool: 14º
Vertido na folha: Amarelo-palha. Nariz exuberante, cítrico e bastante tropicalidade. Boca envolvente, boa acidez, mineralidade e com as notas tropicais do nariz. Com boa persistência final, é um branco equilibrado e guloso mas tem de se ter cuidado com o álcool. Aposta segura. Há vários anos que não perco uma colheita. Atenção ao preço que pode variar muito de local para local. O melhor costuma ser no Intermarché. Esta foi comprada na casa dos 4 euros na feira de vinhos do Jumbo em 2009. Apreciado em Fevereiro de 2010.

Casa de Santar Reserva 2005 (Tinto)

Região: Dão
Produtor: Dão Sul
Castas: Touriga Nacional, Alfrocheiro, Tinta Roriz
Custo: € 11,00-12,00
Álcool: 14º
Vertido na folha: Granada médio com indícios da idade. Fruta vermelha e especiada no nariz com notas de barrica. Fresco na boca, com taninos firmes mas finos que o torna elegante e, ao mesmo tempo, espigadote. O final é médio e especiado. Apreciado em Abril de 2010.

Gnosis 2004 (Tinto)

Região: Douro
Produtor: Agostinho Augusto Soares
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca, Tinta Barroca
Custo: €11,50-14,00
Álcool: 13,4º
Vertido na folha: Granada escuro. Nariz algo fechado com notas vegetais. Com arejamento aparece a fruta madura mantendo as notas de mato. Na boca é amplo, gordo, com a acidez a amparar o conjunto que prima por uma ambivalência amargo/doce. O final é persistente com notas de barrica. É vinho que merece alguma conversa sobre ele. Apreciado em Abril de 2010.

Herdade da Farizoa Reserva 2006 (Tinto)

Região: Alentejo
Produtor: Companhia das Quintas
Castas: Touriga Nacional, Aragonez, Syrah
Custo: €13,00-15,00
Álcool: 14,7º
Vertido na folha: Bastante escuro. Aroma penetrante a fruta madura, flores (o lote possui 80% de Touriga Nacional...) e notas especiadas. A boca acompanha a aparência visual, cheia, encorpada mas muito delicada, feminina, cuja acidez faz prolongar as sensações no seu final de média intensidade. Vinho fácil de gostar, directo ao coração e gosto feminino. E que tal presentear a cara metade feminina (ou candidata) com este vinho? Tem estilo e o álcool pode fazer o resto... Apreciado em Abril de 2010.

Adega Cooperativa de Borba Reserva 2005 (Tinto)

Região: Alentejo
Produtor: Adega Cooperativa de Borba
Castas: Aragonez, Tricadeira, Castelão, Alicante Bouschet
Custo: €8,00-10,00
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Granada aberto com tons acastanhados. Nariz vegetal, alguma compota e alicorados. A boca apresenta-se com corpo médio com notas vegetais a mostrar-se (folha de tabaco(?), talvez café torrado) acompanhados de leve adstringência, acidez fresca e alguma evolução. O final apresenta-se com persistência média com leve secura e notas de barrica. Apreciado em Abril de 2010.

Quinta do Penedo 2007 (Tinto)

Região: Dão
Produtor: Caves Messias
Castas: Touriga Nacional, Alfrocheiro
Custo: €5,00-6,00
Álcool: 13,0º
Vertido na folha: Cor granada profunda com nuances violeta. Aromas vegetais a dominar o nariz com algum floral e especiado da barrica. Na boca é fresco, amplo e denso, apresentando taninos presentes mas domesticados. Termina longo com notas amargas de cacau envoltas num aveludado de baunilha muito agradável. Louve-se os 13º de álcool. É um Dão de gosto democrático (quase impossível não gostar) e ainda com pernas para andar. Adquirido na feira de vinhos do El Corte Ingles a menos de €5,00. Apreciado em Março de 2010.

Casa Ermelinda Freitas Touriga Nacional 2007 (Tinto)


Região: Setúbal
Produtor: Casa Ermelinda de Freitas
Castas: Touriga Nacional
Custo: €8,00-10,00
Álcool: 14,0º
Vertido na folha: Granada médio. Nariz com fruto do bosque, algum floral, toque de menta e alguma madeira (que se revela mais após arejamento). A boca acompanha o nariz, o corpo é médio apresentando alguma sensação doce, taninos limados e a madeira surge mais vincada. Termina com persistência média e especiada da madeira. O vinho é bom mas algo unidireccional e, quanto a mim, não justifica o preço na prateleira. A versão de 2006 cativou-me um pouco mais. Apreciado em Março de 2010.

Casa Cadaval Padre Pedro Reserva 2005 (Tinto)


Região: Tejo
Produtor: Casa Cadaval
Castas: Touriga Nacional, Trincadeira, Cabernet Sauvignon, Merlot
Custo: €7,00-8,00
Álcool: 13,5º
Vertido na folha: Cor granada escuro com notas de leve evolução. Nariz algo fechado. Precisou de agitação/arejamento para se mostrar (No dia seguinte estava bem mais aberto). Destacam-se as notas vegetais e balsâmicos da barrica com a fruta vermelha presente mas algo escondida na 1ª prova e ligeiro floral (no dia seguinte, a fruta vermelha e as notas florais foram mais evidentes). Boca ampla com ataque ácido vincado (apesar da idade) a que se seguem os frutos silvestres adocicados e as notas vegetais. Termina com persistência média com sensações finais de café e baunilha. Um bom companheiro de mesa. Esta adquiri-a juntamente com a Revista de Vinhos. Apreciado em Março de 2010.

Caves São João Reserva 2005 (Tinto)


Região: Bairrada
Produtor: Caves São João
Castas: Baga, Touriga Nacional
Custo: €6,00-7,00
Álcool: 13º
Vertido na folha: Cor granada com laivos da idade. Aroma vinoso com vegetal seco, frutos silvestres e tostados. Boca fresca e ampla com fruta vermelha madura envolvida pela madeira e alguma adstringência. Final persistente com notas tostadas, café e algum cacau. Precisa de comida por perto. No meu caso, acompanhou um Cozido à Portuguesa a preceito. Apreciado em Março de 2010.

Quinta da Garrida 2006 (Tinto)


Região: Dão
Produtor: Aliança
Castas: Jaen, Tinta Roriz, Touriga Nacional
Custo: €5,00-6,00
Álcool: 14º
Vertido na folha: Cor granada média/profunda. Nariz inicialmente envergonhado mas que se releva com agitação do copo apresentando aroma a frutos do bosque com um toque floral. A boca não apresenta surpresas relativamente ao nariz, boa acidez e corpo que contrabalança os 14º de álcool (não se sentem) a que se acrescentam os fumados e especiaria da madeira a dominar o final de persistência média. Custou €5.70 na Garrafeira Nacional. Apreciado em Fevereiro de 2010.

Grand’Arte Shiraz 2007 (Tinto)


Região: Estremadura
Produtor: DFJ Vinhos
Castas: Syrah
Custo: €8,00-€9,00
Álcool: 13º
Vertido na folha: Cor granada profunda. Nariz pouco falador mostrando, após arejamento e a temperatura próxima dos 18º, notas compotadas de frutos silvestres e fruta madura com leve vegetal. Na boca apresenta-se redondo, macio, com bom equilíbrio fruta/madeira e ligeiro toque vegetal. Com persistência média, termina fresco, especiado e com afloramentos de cacau. Com a Revista de Vinhos custou €5,95. Apreciado em Fevereiro de 2010.

Casaleiro Syrah Reserva 2006 (Tinto)


Região: Ribatejo
Produtor: Enoport
Castas: Syrah
Custo: €5,00-€6,00
Álcool: 14,5º
Vertido na folha: Cor profunda. O nariz é impositivo a fruta madura, fumados e notas de especiarias. Boca ampla, taninos presentes e domados, sente-se a madeira mas equilibrada com a fruta generosa e doce. Final persistente, especiado e com algum confronto amargo/doce. Fácil de gostar, é para (quase) todas as bocas. Atenção ao álcool... Se for bebido a 18º pode tornar-se consativo. Fica a ganhar se bebido ligeiramente refrescado. Na presença de um S. Julião de boa cura, sobressaem um pouco mais os taninos e a madeira em detrimento da fruta. Tropeçamos nele em todo o lado, por exemplo, nas grandes superfícies. Apreciado em Fevereiro de 2010.

Quinta de Pancas Selecção do Enólogo 2006 (Tinto)


Região: Estremadura
Produtor: Companhia das Quintas
Castas: Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon, Merlot, Alicante Bouschet
Custo: €5,00-€6,00
Álcool: 13º
Vertido na folha: Cor granada média. Notas fumadas, pimento verde e afloramentos de Touriga e Merlot (sobre esta última lembro-me dos aromas de dois ou três monovarietais de Merlot que bebi nos últimos 3-4 anos). Na boca apresenta-se com bom porte, onde sobressaem os tostados da madeira e o vegetal do Cabernet. Possui boa acidez e comprimento médio com terminação amarga e alguma especiaria. Na minha perspectiva falta um pouco mais de fruta para outros voos. Adquirido na feira de vinhos do Corte Inglês de 2009 a €4,65. Apreciado em Fevereiro 2010.

Dona Maria 2006 (Tinto)


Região: Alentejo
Produtor: Júlio Bastos
Castas: Aragonês, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Syrah
Custo: €7,00-€8,00
Álcool: 14º
Vertido na folha: Cor não muito carregada. No nariz apresenta-se a fruta madura e algum couro. Corpo médio com fruta, chocolate (?), óptima acidez, madeira bem integrada e bom comprimento com um retro nasal especiado. Mais para o estilo elegante que encorpado parece, contudo, ter pernas para mais uns anos. Comprei-o a cerca de 6 euros na Wine O’Clock há uns meses atrás em promoção. Apreciado em Janeiro de 2010.

Mouras de Arraiolos Reserva 2006 (Tinto)


Região: Alentejo
Produtor: Adega das Mouras de Arraiolos
Castas: Syrah, Touriga Nacional
Custo: €8,00-€9,00
Álcool: 14,9º
Vertido na folha: Cor mediana com alguns laivos da idade que apresenta. Aroma vegetal com Touriga envergonhada. A boca acompanha o nariz, madeira saliente, acidez viva e algum doce residual. O final é amargo com aflorações abaunilhadas. O doce residual faz-me lembrar, em certa medida, o Casaleiro Syrah Reserva 2006. Característica da casta em certos solos ou tecnologia na adega? Venda nas grandes superfícies, por vezes, em promoção. Apreciado em Janeiro de 2010.

Encostas de Estremoz Reserva 2007 (Tinto)


Região: Alentejo
Produtor: Encostas de Estremoz Sociedade Agrícola Lda
Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Alicante Bouschet
Custo: €13,50-€18,00
Álcool: 14,5º
Vertido na folha: Cor profunda e densa. Aroma relativamente fechado com notas compotadas. Boca redonda, macia e aveludada apesar do cumprimento dos taninos à sua passagem. Com a madeira bem integrada e a acidez a domar o álcool, o vinho é elegante, fino e a provar… sem reservas. Acima da média. Merece alguma guarda se bem que faz actualmente uma óptima prova. Bom preço na Garrafeira Nacional. Apreciado em Janeiro 2010.